Podcasts

Entrevistas

01/03/2017 FRANSÉRGIO BATISTA






O Gerente Técnico de Grãos da Alltech Crop Science ensina seis práticas que auxiliam no enraizamento do milho safrinha.

Cultura de sucessão à soja, o milho safrinha se apresenta como uma importante fonte de renda para o produtor brasileiro, contribuindo, consequentemente, com a rentabilidade agrícola de todo país. Só na temporada 2015/2016, o total colhido na segunda safra, no Brasil, foi de aproximadamente 40,8 milhões de toneladas, conforme dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Segundo o engenheiro agrônomo Fransérgio Batista, gerente técnico de grãos da Alltech Crop Science, um sistema radicular bem formado é essencial neste processo, pois permite “fixação da planta no solo, absorção de água e nutrientes presentes na terra e produção de hormônios extremamente importantes para o desenvolvimento não só das raízes, mas da planta como um todo”, explica. De acordo com o especialista, um bom enraizamento pode contribuir para um incremento de produtividade entre 6% e 12% na safrinha.

Há mais de dez anos, o produtor de milho Clodoaldo Calegari, de Silvânia (GO), adotou práticas que favorecem o sistema radicular. O agricultor conta que estes investimentos trouxeram segurança ao seu plantio.  “A partir do momento que eu tenho um volume maior de raiz, na ocorrência de um déficit hídrico, a minha planta vai se defender melhor e consequentemente produzir mais”, afirma.

Os bons resultados na colheita, entretanto, começam nas fases iniciais do plantio. Confira seis práticas que podem auxiliar o produtor a alcançar um bom nível de enraizamento no milho safrinha:

1 – Gradiente de água no solo: segundo Batista, é importante ter disponibilidade de água no gradiente do solo, ou seja, no perfil do solo, alcançando além da superfície, para que seja possível atingir a raiz como um todo favorecendo seu desenvolvimento.

2 – Disponibilidade de nutrientes: a adubação em profundidade também é destacada pelo especialista para evitar que as raízes fiquem apenas superficialmente. Quanto maior os teores nutricionais nas camadas subsuperficiais, maior o enraizamento no perfil do solo.

3 – Ausência de compactação do solo: de acordo com o agrônomo, a compactação é algo que prejudica bastante o enraizamento, dificultando a penetração de água e manejo do solo.

4 – Manejo de pragas e doenças: a presença de pragas e doenças, como nematoides, por exemplo, são fatores extremamente complicadores para o enraizamento da planta, por isso é importante que o produtor esteja atento a estas questões, aponta Batista.

5 – Aumento da matéria orgânica: promover um manejo que favoreça o aumento da matéria orgânica do solo é essencial, segundo o gerente técnico. É comprovado que em solos onde há maior teor de matéria orgânica, há volume radicular muito mais satisfatório.

6 – Tratamento de sementes: para finalizar, Batista orienta tratar a semente do milho com aminoácidos e precursores hormonais, compostos que vão ativar a planta diretamente a formar um maior volume radicular.

Foto: LinkedIn / Acervo Pessoal

  • Webcombrasil nas redes sociais:

WEBCOMBRASIL l A sua agência de comunicação
Rua da Glória, 72 Terceiro Andar, Sala 301, Centro Cívico, Curitiba/PR
CEP: 80030-060
www.webcombrasil.com.br
central@webcombrasil.com.br