Meninas representam metade dos classificados na Obmep, mas só respondem por um quarto das medalhas

A capixaba Fabíola Loterio é uma de mais de 500 estudantes que receberam, no Rio de Janeiro, a medalha de ouro que conquistaram na edição 2017 da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). É a sexta medalha da adolescente na competição, mas ela ainda representa uma minoria: de 576 medalhistas, só 127 (ou 22%) são garotas, apesar de elas representarem 48% dos mais de 940 mil pessoas classificadas após a primeira fase.