A estratégia de Malala para colocar 130 milhões de meninas na escola

Há poucos dias, dezenas de ativistas de sete países diferentes começaram, em Dubai, um curso intensivo de cinco dias sobre negociações, advocacy e tecnologia. Eles vivem em sete países diferentes – duas delas, por exemplo, são brasileiras – e foram escolhidos porque batalham por uma única causa: a educação de meninas. Todos foram levados aos Emirados Árabes Unidos com tudo pago pelo Fundo Malala.