Estimulação cerebral como possível tratamento para o Alzheimer

O envio de pulsos eletrônicos através de um cérebro que está sendo danificado pela doença de Alzheimer pode se tornar um novo método de tratamento precoce. Um estudo liderado pelo Dr. Andres Lozano, no Centro de Neurociência Krembil, no Canadá, concluiu que pacientes com mais de 65 anos com doença leve de Alzheimer podem se beneficiar de estimulação cerebral profunda.