Relatório da Pastoral da Terra mostra crescimento da violência no campo

Desde 1985 não aconteciam tantos conflitos no campo como no ano passado, quando 61 pessoas morreram por causa disso (um aumento de 22% em relação a 2015). Destes 61 assassinatos, 13 foram de indígenas, 4 de quilombolas, 6 de mulheres, 16 foram de jovens de 15 a 29 anos, sendo 1 adolescente. No total, foram 1079 ocasiões em que a violência foi muito grande, dados que fazem parte do relatório anual produzido pela Comissão Pastoral da Terra (CPT).