Técnica com células-tronco recupera visão de idosos com doença degenerativa, aponta estudo da USP

Com o celular nas mãos, o aposentado Manoel Eleotério Neto, de 72 anos, responde a todas as mensagens recebidas. Diagnosticado com Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), ele ouviu dos médicos que poderia ficar cego, mas a letra miúda não é mais problema desde que se submeteu a uma técnica desenvolvida por pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP, em Ribeirão Preto (SP).