Uma nova doença: obsessão por videogames

Muitos pais se desesperam com seus filhos adolescentes que passam o dia – e/ou boa parte da noite- com os olhos grudados em uma tela eletrônica, os dedos rápidos correndo pelas teclas ou botões, absorvidos em uma dimensão virtual, jogando sem querer pensar em parar e sem ouvir os insistentes pedidos ou apelos para que parem.