Composto reduz toxinas ligadas a Alzheimer em células cerebrais

Um composto experimental desenvolvido por cientistas Universidade de Washington (Estados Unidos) foi capaz de reduzir a produção de uma toxina ligada à doença de Alzheimer em células cerebrais produzidas em laboratório. De acordo com os autores da pesquisa, os resultados abrem caminho para uma nova abordagem para terapias e até mesmo prevenção contra o Alzheimer.